Desenvolvimento de equipes – heterogeneidade, empatia, estímulos e o papel da liderança

As empresas funcionam a partir da atuação de equipes. Trabalho em equipe pressupõe habilidade na negociação e a existência de diferenças individuais – a heterogeneidade. Esta heterogeneidade inclui as motivações que conduzem as pessoas a atuar de uma ou outra forma, pois elas são determinantes na condução da equipe. Aliás, pesquisas revelam que as pessoas preferem trabalhar com pessoas com personalidades diferentes, que possam complementá-las. O que não quer dizer, porém, que equipes homogêneas quanto ao perfil psicológico tenham menor desempenho. Contudo, quando há diferenças individuais, podem-se aproveitar mais ainda os benefícios da contribuição que cada elemento tem a oferecer.

A base do trabalho em equipe é a comunicação, um processo de interação que deve permitir clareza para seu receptor. A empatia, o “colocar-se” no lugar do outro, ter sensibilidade, auxilia a compreensão, a comunicação e, por conseguinte, pode vencer obstáculos interpostos pelos diferentes backgrounds dos participantes de uma equipe, fazendo com que esta diversidade seja colocada a favor do trabalho.

Uma boa liderança pode trabalhar os estímulos, dando suporte à satisfação das necessidades inatas ou aos fatores higiênicos e motivacionais, eliminando a sensação de injustiça e desequilíbrio, proporcionando recompensas adequadas e, assim, aumentando a motivação dos participantes de uma equipe. No trabalho em equipe, as competências prevalecem sobre a hierarquia e a liderança é compartilhada; e, na ausência de hierarquia rígida, a substituição das ordens pelos estímulos é essencial. Estes estímulos podem ser recompensas materiais por cumprimento de metas ou o simples reconhecimento – um elogio bem feito basta para estimular o afloramento das competências dos integrantes. Observe-se que o reconhecimento material traz em si um problema: a expectativa de repetição – quem pode garantir que a empresa terá verbas para recompensar metas atingidas? Já o elogio pode ser repetido e tem efeito realmente estimulante.

Equipes bem conduzidas passam necessariamente por processos de estímulos, de satisfação de suas necessidades primordiais, de modo a se poder extrair delas o máximo que seus elementos têm a oferecer, obtendo-se, no ápice, a sinergia: o trabalho da soma dos elementos da equipe supera o trabalho que seria obtido pela soma dos trabalhos individuais dos elementos que compõem a equipe. Em outras palavras, a contribuição do todo será maior que a soma das contribuições individuais.

Equipes bem desenvolvidas compreendem a importância de suas tarefas em um todo do qual fazem parte. E o que significa desenvolver uma equipe? Significa compreender seus pontos fortes, suas aptidões, em suma, as competências dos elementos que a compõem, mormente as competências essenciais. Significa também capacitar os componentes da equipe, treiná-los e, de preferência, colocá-los nas posições de trabalho que mais estejam de acordo com suas preferências, para que trabalhem com seu melhor desempenho.

E é papel do gestor estabelecer os valores, as metas e a filosofia de trabalho predominante na equipe.

About these ads

Sobre Roberto Blatt

Sou formado em Engenharia Eletrônica pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (POLI-USP), tenho M.S. in Computer Systems and Information Technology pela Washington International University e MBA em Administração de Empresas pela FGV. Tenho mais de 25 anos de experiência profissional na área Administrativa Financeira, desenvolvidos em empresas nacionais e multinacionais dos segmentos automotivo, eletroeletrônico e serviços, vivenciando inclusive o start-up, dentro dos aspectos administrativos e financeiros e tendo atuado na gestão de equipes das áreas Administrativa, RH e Pessoal, TI, Financeira, Comunicação e Compras. Professor no Pós-Admn da FGV em Liderança & Inovação e Gestão de Pessoas. Para acessar meu blog com comentários e críticas sobre cinema, cliquem aqui ou, para artigos sobre Administração, Tecnologi a eresenhas de livros, em aqui .
Esse post foi publicado em Gestão de Pessoas, Gestão Organizacional, RH e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s