A automação residencial no século 21

 

“Quando a exposição de Paris se encerrar, ninguém mais vai ouvir falar em luz elétrica.” (Erasmus Wilson, Universidade de Oxford, 1879)
“O fonógrafo não tem nenhum valor comercial” (Thomas Edison, ao inventar o precursor do toca-discos, 1880)
“A televisão não dará certo. As pessoas terão de ficar olhando para sua tela, e a família americana média não tem tempo para isso.” (The New York Times, na apresentação do protótipo do televisor, 18/04/39)
“Não há razão para qualquer indivíduo ter um computador em casa” (Ken Olsen, presidente da DEC – Digital Equipment Corporation, 1977. A empresa, pioneira no mercado da computação, virou parte do passado)
“Acredito que há mercado mundial para cerca de cinco computadores.” (Além de, conscientemente ou não, ter colaborado com a máquina de extermínio nazista, Tomas J. Watson, presidente da IBM, teria errado mais uma vez ao supostamente fazer este vaticínio em 1943; a favor da IBM, há o fato de ela ter lançado o PC, o computador pessoal, em 1981).

Os futurólogos que atuam na área da tecnologia vivem no pior e no melhor dos mundos hoje em dia. Se, por um lado, eles podem arriscar prever inventos e soluções das mais variadas espécies sem o risco de errar muito – parece que nem o céu é o limite –, por outro eles podem acabar por lançar suas fichas em soluções de sucesso efêmero ou de fracassam veloz, desmentindo-os rapidamente. Ou eles podem nem se dar conta do brilho de determinadas invenções. Exemplo famoso dos dois lados da moeda é o de Bill Gates, que, em 2010, proferiu que “Não há nada no iPad para que eu olhe e diga: gostaria que a Microsoft o tivesse feito… o netbook será o produto dominante desta área, por envolver alguma mistura de voz, a caneta e um verdadeiro teclado”. O iPad não teria sido o orgulho da Microsoft? E o netbook, quem se lembra dele?

Previsões desastradas hoje transparecem rapidamente – por vezes, em questão de poucos meses, como no caso de Steve Ballmer, da Microsoft, que em 2007 comentou a respeito do recém-lançado iPhone: “500 dólares?! Totalmente subsidiado através de um plano de telefonia? Eu digo que esse é o telefone mais caro do mundo e não tem apelo para clientes empresariais porque não tem um teclado, o que faz com que não seja uma boa máquina para e-mail.” Em dois meses e meio, 1 milhão de unidades do iPhone foram vendidas.

Robert Metcalfe, um dos inventores da Ethernet e fundador da 3Com, previu em 1995 o colapso próximo da internet. Acertou? Nem de longe. Com o novo protocolo IPv6, cada dispositivo na Terra pode ter seu endereço próprio. Em vez do colapso, temos a possibilidade da expansão da rede das redes e da efetivação da chamada Internet de todas as Coisas (IoT), com todos objetos trocando informações entre si através da internet, bastando estarem todos equipados com pequenos transmissores.

Há os especialistas que acreditam no futuro dos dispositivos vestíveis, como óculos, relógios etc. como responsáveis pela popularização da IoT e também há os que não creem que isto seja mais que um modismo. De qualquer forma, é certo que dispositivos como os de iluminação, sonorização e climatização, hoje já facilmente integráveis, trocarão informações entre si através da mesma rede e pelo mesmo sistema centralizado por onde você poderá comandar o preparo do café em sua cafeteira inteligente e disparar um pedido de compra no supermercado, baseando-se no levantamento de estoque feito pela sua geladeira, que não somente contabilizará os produtos, como indicará os que estão próximos de sua data de validade.

Vidros que mudam de estado opaco para transparente em função de regras de automação e/ou de incidência de luz solar na edificação se comunicarão com a central de comando, permitindo o controle eficiente da iluminação e temperatura do local, dispensando cortinas e persianas e podendo até evitar o acionamento do ar condicionado.  Opcionalmente, imagens poderão ser projetadas nos vidros, dispensando telas de projeção ou monitores.

Isto tudo somado à Automação Baseada em Comportamento (ABC), uma forma de automação adaptável, onde as regras de comportamento do sistema aprendem e se adaptam à rotina do usuário. Sua preferência de temperatura do ar condicionado mudou? O sistema vai perceber que esta alteração está se tornando uma constante e, a partir de certo momento, vai estabelecer isto como uma nova regra.  Um padrão predefinido no sistema está sendo constantemente alterado pelo usuário? Não há problema, o sistema agora saberá que aquela regra perdeu o valor.

Os ambientes nos conhecerão e reconhecerão e haverá muita comunicação e tráfego de informações a respeito de nossas rotinas. Mas e a nossa privacidade? Assunto para outra discussão…

Anúncios

Sobre Roberto Blatt

Sou formado em Engenharia Eletrônica pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (POLI-USP), tenho M.S. in Computer Systems and Information Technology pela Washington International University e MBA em Administração de Empresas pela FGV. Tenho mais de 25 anos de experiência profissional na área Administrativa Financeira, desenvolvidos em empresas nacionais e multinacionais dos segmentos automotivo, eletroeletrônico e serviços, vivenciando inclusive o start-up, dentro dos aspectos administrativos e financeiros e tendo atuado na gestão de equipes das áreas Administrativa, RH e Pessoal, TI, Financeira, Comunicação e Compras. Professor no Pós-Admn da FGV em Liderança & Inovação e Gestão de Pessoas. Para acessar meu blog com comentários e críticas sobre cinema, cliquem aqui ou, para artigos sobre Administração, Tecnologi a eresenhas de livros, em aqui .
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s